segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Black Friday: economize com o presente das crianças

Criança adora ganhar presente o ano inteiro, para elas as datas especiais significam muito para ganhar brinquedos, roupas e muito mais. E quando elas colocam na cabeça que querem algo, é difícil mudar a opinião delas.
Os pais algumas vezes ficam apertados com o orçamento para comprar tantos presentes que os pequenos pedem. Daremos uma ótima dica para economizar na hora de comprar o presente que seu filho tanto quer.

Presenteie seus filhotes economizando!

Este ano, no dia 24 de novembro, irá acontecer a nova edição da Black Friday Brasil. Um dia inteiro de ofertas imperdíveis, o que o torna o maior evento de lojas online e offline. Então nada melhor que guardar esta data para comprar os brinquedos ou presentes que seus filhos mais desejam.
Desde brinquedos, playground, eletrônicos, games até roupas e calçados, tudo com descontos incríveis e somente neste dia. Uma oportunidade de comprar aquilo que você mais quer por preços bem menores.

Fonte: Meliuz

sábado, 11 de novembro de 2017

Como construir uma praça pública em seu condomínio

Morar em um local que tenha uma praça pública é um verdadeiro privilégio para muitas pessoas, principalmente para as que vivem nas grandes cidades.

Entretanto, nem sempre o condomínio escolhido para se viver com a família fornece esse tipo de espaço de convivência; até que chegam os filhos e esse assunto passa a incomodar.

Afinal, quem não quer que as crianças cresçam num local seguro e, ao mesmo tempo, com a possibilidade de brincarem ao ar livre?

É possível, sim, construir uma praça pública em seu condomínio e isso dependerá de um bom planejamento e da aceitação dos demais moradores, é claro. No texto de hoje vamos esclarecer um pouco mais sobre esse assunto para você descobrir o que fazer.

A importância de uma praça pública em condomínios:

Ter uma área de convivência ao ar livre e cercada de verde, como uma verdadeira praça pública deve ser, muda a vida de quem mora em locais fechados, e para melhor.

Afinal, um espaço de uso comum é capaz de oferecer uma melhora na qualidade de vida de seus moradores, ainda mais quando se tem filhos pequenos.




A seguir apontamos alguns motivos que explicam ainda mais essa importância:

Possibilidade de convivência (ou melhoria da convivência) com os demais moradores.
Todos os moradores, incluindo as crianças e os idosos, podem contar com um espaço seguro, agradável e ao ar livre para desempenharem atividades, como brincadeiras e exercícios físicos.
Ter um espaço verde, além de melhorar a qualidade do ar, também aumentam os índices de felicidade dos moradores (médicos afirmam indicam que a presença do verde ajuda, inclusive, a diminuir alguns riscos de doenças, como enfarte).
Ter uma área verde próximo ao local de moradia também ajuda a melhorar a qualidade do ar, pois as plantas e árvores conseguem filtrar a poluição do ar e diminuir as ilhas de calor.
Não há necessidade de um grande deslocamento para se chegar a uma área de lazer, descanso e meditação ao ar livre.
Itens que não podem faltar na praça do condomínio

Em primeiro lugar, para se ter uma boa praça dentro do condomínio é preciso de um bom planejamento e um projeto, para que os custos sejam definidos e se evite gastos além do necessário.



Um bom projeto que atenda aos mais diferentes moradores pode incluir itens como:

bancos;
playground;
espaço para caminhada ao redor;
jardim (projeto paisagístico contemplando gramado, árvores, arbustos e flores);
boa iluminação noturna;
instalação de câmeras de segurança;
projeto de irrigação, caso seja necessário, a depender do tamanho da praça.
Também é muito importante definir quem fará e como será realizada a manutenção da praça, pois se não for feita, pode comprometer o solo e as plantas do jardim.



Em geral, jardins de pequeno e médio porte podem ter manutenção pelo menos uma vez por mês, principalmente em épocas de estiagem ou seca.

Tendo um local apropriado para se construir a praça no condomínio, é hora de conversar com o síndico. Uma dica é colocar no papel todos os motivos e argumentos a favor da construção da praça no condomínio.

Você pode ajudá-lo, por exemplo, a levantar todos os custos para desenvolver um projeto mais completo, que deve ser repassado aos demais moradores.

Nesse sentido, é muito importante estar atento ao que diz o artigo 1.342 da Lei 10.406/2002 do Código Civil, em relação a realização de obras em partes comuns de um condomínio:

A realização de obras, em partes comuns, em acréscimo às já existentes, a fim de lhes facilitar ou aumentar a utilização, depende da aprovação de dois terços dos votos dos condôminos, não sendo permitidas construções, nas partes comuns, suscetíveis de prejudicar a utilização, por qualquer dos condôminos, das partes próprias, ou comuns.
Ou seja, com os custos levantados e com a concordância do síndico, é hora de argumentar o quão melhor pode ser a qualidade de vida de todos os vizinhos com uma área de convivência verde, ao ar livre e, ao mesmo tempo, preservando-se a segurança de todos os moradores.

Se construir uma praça pública em seu condomínio também for o sonho dos demais moradores, é hora de colocar a mão na massa e partir para a ação, que certamente trará muitos benefícios a todos.

Fonte: Aquarela Parques



domingo, 15 de outubro de 2017

Importância dos brinquedos pedagógicos para a aprendizagem infantil

O brinquedo certo estimula a atividade criadora e a percepção infantil, possibilitando à criança desenvolver a inteligência, a capacidade de apreensão e a compreensão.

 mundo da criança

Brincar é um verdadeiro fenômeno. Uma criança consegue brincar ainda que não possua brinquedos. Entretanto, uma vez que se pensa em dar um brinquedo a ela, é importante que ele seja adequado a sua idade e ao seu desenvolvimento. O brinquedo certo é mais do que um meio de gerar consumo e lazer. Ele é, também, uma forma de estimular a atividade criadora e a percepção infantil, possibilitando à criança desenvolver a inteligência, dotando-a de maior capacidade de apreensão e compreensão. 

Segundo Friedmann et al., 1992, os brinquedos têm impacto próprio e constituem, ao mesmo tempo, meios para brincar e veículo da inteligência e da atividade lúdica. Enquanto a criança não ingressou na escola, deve brincar o máximo que puder, depois, é conveniente estipular horários de modo a conciliar o tempo dedicado aos brinquedos com as tarefas escolares, ainda assim uma boa escola infantil é aquela que usa a brincadeira e o brinquedo como recursos pedagógicos. 

O brinquedo pode ser:

- uma pipa, 
- um carrinho, 
- uma pá, 
- uma boneca de pano, 
- uma folha caída da árvore, 
- pedrinhas achadas no chão, 
- tampinhas, e 
- caixinhas de papel. 

Um brinquedo pode ser visto de diferentes maneiras pela criança: 

- como potencial de recolhimento e consolação, 
- estímulo à autonomia ou à associação do coletivo, 
- realização, 
- cooperação e progresso, e 
- novidade, distração ou informativo. 

Dependendo da qualidade das oportunidades que lhe sejam oferecidas, por meio de brincadeiras e brinquedos, pode-se garantir às crianças que suas potencialidades e sua afetividade se harmonizem. Comprova-se aqui, então, a grande importância dos brinquedos pedagógicos para o processo de ensino-aprendizagem das crianças.

Ao brincar, as crianças:

- expressam suas fantasias, seus desejos e experiências, 
- dominam suas angústias e os seus medos, 
- exprimem sua natural agressividade, 
- estabelecem e desenvolvem a sociabilidade,
- aumentam suas experiências,
- aprendem que é permitido errar e que pode tentar de novo, sem críticas destrutivas,
- promovem sua criatividade e favorecem toda expressão de sua personalidade,
- desenvolvem de forma sadia sua própria sexualidade. 

Brincar é importante porque:

- trabalha o desenvolvimento cognitivo,, 
- trabalha o desenvolvimento da linguagem,
- trabalha a socialização da criança. 

 mundo da criança


O que procuram as crianças ao brincar:

Conforme WINNICOTT (1975), as crianças brincam para buscar prazer, para expressar agressão, para controlar a ansiedade, para estabelecer contatos sociais, para realizar a integração da personalidade e, por fim, para comunicar-se com as pessoas.



Fonte: www.cpt.com.br

domingo, 1 de outubro de 2017

O Dia do Vendedor é comemorado anualmente em 1º de outubro no Brasil.

A data homenageia os profissionais que trabalham realizando a venda de produtos e / ou conceitos e ideias para o consumidor. Os vendedores são fundamentais para o bom funcionamento do comércio.

A profissão de vendedor é considerada uma das mais antigas do mundo. Algumas fontes históricas dizem que os primeiros vendedores eram conhecidos como "caixeiros-viajantes". Porém, ao longo dos anos, esta prática cresceu e se desenvolveu ao mesmo ritmo que a industrialização.
No Brasil, os vendedores ainda comemoram a profissão em outros dias dedicados especificadamente às várias áreas em que podem atuar, como: o Dia do Vendedor de Livros (em 14 de março), a par do Dia do Livro e do Dia do Bibliotecário; o Dia do Vendedor Ambulante (em 14 de novembro); e o Dia do Vendedor Lojista (em 30 de agosto).
Origem do Dia do Vendedor
O Dia do Vendedor surgiu a partir do 1º Congresso Pan-americano de Viajantes, Agentes e Representantes do Comércio, que aconteceu entre os dias 25 de setembro e 2 de outubro de 1937, na Argentina.
Durante o evento, os países participantes decidiram que o dia 1º de outubro seria destinado a comemorar o Dia do Vendedor (a nível pan-americano).
Fonte: Calendarr.com

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Dia das crianças chegando e muitas dicas de como acertar no presente também...

Aqui a diversão é garantida! 
Desenvolve o EQUILÍBRIO na base com movimento da espera no percussor. Trabalha o equilíbrio, alongamento e domínio da capacidade de superar limites.
A prancha mede Comprimento: 50 cm, altura: 30 cm e uma bola de gude com 3 cm.
Indicado a partir de 7 anos.





sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Banho sem choradeira

Recém-nascidos podem chorar bastante na hora do banho, deixando os pais inseguros, principalmente os de primeira viagem. Não é por causa da água, já que o contato com ela traz de volta as sensações da vida uterina para o bebê. O choro geralmente acontece pelo medo que a criança sente de estar ali vulnerável diante da nova experiência. Mas há solução para seu filho ficar calmo e curtir o banho. Veja algumas dicas:

• Prepare o ambiente. O banho pode ser dado em local arejado, porém sem corrente de ar, para que o bebê não sinta frio. Se houver desconforto, os sinais, além do choro, são pés, mãos e lábios arroxeados.

• Organize trocador e banheira. No primeiro, separe a troca de roupa que vai usar e mantenha uma fralda de pano por cima do trocador para apoiar o bebê. Próximo à banheira, deixe shampoo e sabonete. Embalagens com válvula pump facilitam muito, pois permitem que a mão que está livre maneje o produto e ensaboe ao mesmo tempo.

• Controle a temperatura da água. O ideal é entre 36,5 e 37 graus. Um termômetro para banheira será muito útil. Quando colocar o bebê na banheira, vá jogando água aos poucos e com delicadeza, usando a mão livre como uma espécie de concha.

• Não prolongue o banho. Será prazeroso para o bebê desde que não ultrapasse o limite de conforto dele: enquanto está curtindo a água quente e não está com fome. Por isso, não dê o banho muito próximo ao horário da mamada.

• Escolha produtos adequados. O recém-nascido, assim como a criança maior, deve usar cosméticos da linha infantil. As que já fazem uso de shampoo e condicionador necessitam que os produtos sejam igualmente formulados para elas. Devem ser dermatologicamente e oftalmologicamente testados. Isso quer dizer que não causarão alergias e, se escorrerem nos olhos, não vão arder – outro grande motivo de choro no banho.

Fonte: Revista Crescer